Zagueiro curte o filho no treino e, em entrevista ao GLOBOESPORTE.COM, conta que planeja fazer sua estreia na quarta rodada, contra o Macaé

A ansiedade de jogar uma partida oficial novamente é a mesma que um novato perto de sua primeira partida profissional. Sem atuar desde junho, quando rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito, o zagueiro Gustavo, de 27 anos, está em fase final de preparação física para poder, enfim, vestir a camisa do Vasco. O “Wolverine”, apelido que ganhou por causa da admiração que tem pelo personagem do filme “X-Men”, está doido para mostrar suas garras novamente.

Nesta quinta, o zagueiro, ex-Cruzeiro, viveu um dia de grande felicidade em São Januário. E não escondeu o sorriso. O seu filho, Luis Gustavo, de apenas dois anos, foi até o clube assistir ao jogo-treino em que o pai participou e não sentiu dores no joelho. Depois que a atividade acabou, os dois se divertiram no gramado. A animação é tanta que o jogador acredita que poderá jogar na quarta rodada, contra o Macaé.

Feliz com o novo desafio, Gustavo disse estar preparado para ser um dos líderes do Vasco dentro de campo. O zagueiro contou que já até recebeu uma responsabilidade extra na Colina: virou o presidente da caixinha.

Confira a entrevista completa com Gustavo:
GLOBOESPORTE.COM: Como está sua adaptação ao Rio de Janeiro e ao Vasco?

GUSTAVO: A adaptação está sendo a melhor possível. Já conhecia o Carlos Alberto, Jumar, e outros que já havia jogado contra, como o Dodô. É um grupo muito unido e todos que estão chegando estão sendo muito bem recebidos. Morar no Rio é maravilhoso, dá uma energia positiva. Estou passando esta semana com meu filho, que não reside comigo. Só está faltando agora fazer minha mudança.

Como está sua preparação física? Quando acredita que poderá estrear?

– Tive um problema de desequilíbrio muscular nas pernas. Mas nunca deixei de fazer os treinos. Era um problema que poderia me prejudicar mais para frente. Estamos fazendo um trabalho intenso e acho que na próxima semana poderei ficar à disposição. Participei normalmente do jogo-treino (dos reservas contra um time angolano). Acho que na quarta rodada já poderei estrear (contra o Macaé).

O apelido “Wolverine” já pegou em São Januário (o jogador tem uma tatuagem do personagem no braço direito)?
– Alguns torcedores já estão até me chamando assim. Está na hora do Wolverine voltar e mostrar as garras novamente (risos).

O seu filho gosta deste apelido?

– Às vezes ele quer ver a tatuagem e gosta. Ele assiste bastante desenhos animados.

Você chega ao Vasco como uma das principais contratações do time para 2010. A responsabilidade aumenta?
A responsabilidade existe, mas não preciso provar nada. Venho defendendo equipes grandes e conquistando títulos. Mas fico feliz com a confiança. Sou o presidente da caixinha também. É uma grande responsabilidade. Tenho que ficar de olho em quem chega atrasado (risos).

Os clubes do Rio se reforçaram muito no ataque. Como será enfrentar jogadores como Loco Abreu, Fred, Adriano e Vagner Love?

– Fico feliz com isso. São atacantes de alto nível e nenhum jogo será fácil. Temos que estar preparados. É o futebol brasileiro que ganha com a presença destes grandes jogadores.

Anúncios